11 de mai de 2015

cagação de regra no namoro

“namore alguém que te faça rir”
“namore alguém que te dê prazer”
“namore alguém que te deixe 100% feliz”
“namore alguém que te faça perder a cabeça”
“namore alguém que bagunce a cama e a vida”
“namore alguém que…”

Meus caros. Namore. Namore se quiser. Não busque alguém que te faça rir, porque no fundo, essa pessoa pode estar só te deixando louco. Muito menos alguém que só te dê prazer. Namore sem regras, sem esperar nada de ninguém, mas namore sabendo que é o que você quer. Namore quem você quer ao lado, não alguém que complete uma frase.

Cada vez mais eu vejo gente buscando parâmetros e premissas para namorar. Não entendo como essas pessoas podem ser felizes, se compartilham loucamente textos exemplificando o namoro ideal. Se alguém soubesse a fórmula, as músicas não teriam graça, muito menos os livros, poemas e novelas. Os filmes, então, não seriam arte e nem emocionariam.

Pare de buscar alguém que te faça algo. Namore por estar feliz, por sentir prazer, por saber que é, por querer planejar, por gostar das mãos, por dormir pelado, por querer vê-lo sempre sorrir, por carinho inesperado, por surpresas agradáveis ou por loucura, por dor, por raiva, por carência. Não se inspire, só acredite. Dê a cara na porta e não ligue se doer. Difícil os que morrem de amor. 

Namore um combo. Mas, antes, namore-se. Afinal, é o nosso estado de espírito, nosso presente, nossa verdade que diz o que seremos, como seremos. Namore, caralho. Se todos os namoros fossem lindos como a gente vê a galera pedir e compartilhar, o mundo seria um antro de gente sem graça, vivendo uma falsidade sem tamanho.

Namore alguém que não te entenda, mas te descubra, te desafie, te leve à loucura. 

2 comentários:

Matheus Monteiro disse...

Eh isso!

Almofadinhas disse...

Tem o trecho de um livro, em que o seu post me fez pensar. Ele diz;

"Sobre todos os aspectos, o amor insensato é o mais verdadeiro. Qualquer um pode amar 'por causa de', é tão fácil quanto botar um vintém no bolso. Mas amar 'apesar de', conhecer seus defeitos, suas falhas e ama-los também? Isso é puro, é raro, é perfeito".

Texto lindo, Caprioli.