7 de nov de 2014

à loucura, obrigado.

de doido, todo mundo tem um pouco. frase clichê, que a gente usa sem entender os porquês. é a mais pura verdade: somos loucos, loucos de doer. loucos por amor, loucos por sofrer. loucos por arriscar, loucos por viver. não é fácil, não. a gente precisa acordar todos os dias e encarar este mundão – e, conforme o tempo passa, descobrimos que, talvez, não sejamos tão loucos.

eu não nego que sou. o mundo me fez, na verdade. quando pequeno, sentava com as pernas tortas e batia os dedos de ansiedade para me aventurar logo com algum brinquedo. cresci passando batom vermelho na cara e levando pontos no queixo. me jogava da mesa de cabeça – tinha certeza: eu era o super-homem. descia lareiras de bicicleta, brigava de pé com a irmã, bebia perfumes por rebeldia, chorava litros a cada ferida. na escola, era só nota 10. 10 em história, 10 em ciência, 10 em português. 7,5 na educação física. era louco de pedra e tinha só 4 amigos, o Dennys, o Luiz, o Fernando e o Renato. ninguém fazia meus trabalhos. até os em grupo, eu quem conduzia. fiz-me líder do grupo para me formar com maestria.

comecei a me entender um pouco louco no colegial, quando sentava atrás da porta, no chão gelado, pra acalmar. ou quando dormia tão pesado na aula que todo mundo ia embora e eu ficava, até alguém me acordar. fiz novos amigos, arrisquei roupas, mudei o cabelo. “você vai se arrepender quando tiver 25”, disse Jéssica. dito e feito.

corri pela chuva, roubei revistas na banca e alguns sapatos de Barbie no supermercado. nadei pelado, fiquei apaixonado. fiz loucuras de amor e deixei meu orgulho de lado. melhor escolha da vida: deixar ser conquistado, me deixar um pouco de lado. a loucura me fez entender o outro, estudar seus anseios, seus medos, seu jogo. aprendi a errar, a arriscar, a desejar, a se entregar. tive que me acertar: o mundo é um faz de conta de seriado. por ser louco, sonhador e romântico, tive que me re-encontrar. é só estando perdido que a gente pode se achar.

à loucura, obrigado.

2 comentários:

Maria Eliza disse...

Eu amo os seus textos! <3

Maria Eliza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.