1 de abr de 2014

só dê um tempo

por mais clichê que possa parecer, só dê tempo ao tempo. o tempo tem poder de cura, de esquecimento, de desapego, de descoberta, de bravura. o tempo nos transforma de crianças em adolescentes e, depois, de adolescentes em adultos. o tempo é tímido e passa sem a gente perceber. ele está no ar, no toque, na voz, no olho, no pulso. o tempo ecoa nas paredes de casa, nas paredes da casa dele, nos nossos lençóis amassados, na cama já não mais presente. o tempo atua na dor, transfigura, faz embravecer até se tornar apenas uma lembrança. o tempo transmuta, tem um propósito, é sagaz e rápido, é burro e sábio. o tempo dá agonia, angústia, tortura, pesa quando demora a passar – mas resulta em euforia, nirvana, placebo, prazer e sorte. o tempo escorre pelo rosto, nos concebe sinais de experiência, nos dá força, mas depois arranca. ele sopra agora, antes e depois. vai e não volta. é valioso. dura pouco. o tempo é a única forma de se viver. dê um tempo ao tempo, aprenda a sobreviver. pisque para sentir um segundo partir. durma para ver a hora sumir. beije, pule, grite, chore, sofra, corra, coma, transe, ame. só assim somos capazes de roubar um tempo. 

Um comentário:

Dan disse...

Sempre que preciso de inspiração passo por aqui!
Não desses leitores assíduos, confesso, mas sempre que posso, venho. E nunca me decepciono. E sempre de alguma forma seus textos me ajudam em algum dos milhões de coisas que estão acontecendo na minha vida.
Enfim, hj tirei um tempo, para agradecer e incentivar vc a continuar a escrever, pois mesmo que ninguém comente, saiba que suas palavras fazem diferença!
Enfim!
Obrigado Caio!