7 de nov de 2013

Avril Lavigne


Eu já falei de Avril Lavigne aqui inúmeras vezes. Olha só:
goodbye lullaby, i love you, complicated, retrospectiva 2011, the motherfuckin princess, the reason why I smile, let go, why, Avril?, caio, a melhor review, hot.

Pois bem. Cá estamos, 2013. Ontem, 5/11, 20 dias antes do meu aniversário, saiu novo álbum, o "Avril Lavigne". Paixão adolescente. "Você nunca vai crescer, Caio?". Não. Não gosto dela porque eu gosto que os outros saibam que eu gosto dela. Não. Eu gosto, mesmo. Não é pose. Eu ouço 24 horas por dia. Eu me divirto vendo seus vídeos. Eu faço loucuras (do tipo se hospedar no mesmo hotel e, logo após seu show, esperá-la na porta do elevador para uma foto). Eu gosto porque ela me dá paz.

Escutar Avril Lavigne, pra mim, é desligar do mundo. É ouvir sua voz, mesmo que não seja a melhor do mundo, e se me teleportar pra uma outra dimensão.

Não, ela não faz mais muito sucesso e sabe-se lá até quando vai sua carreira. Eu, pra sempre, estarei aqui, comprando e ouvindo. Esperando. Ligado em qualquer novidade. É incrível o poder que essa mulher tem sobre mim - quem me conhece, sabe o chato que sou quando tem alguma música nova pra sair ou quando alguém fala algo sobre ela. É Avril, não Eivril, sempre corrijo, automaticamente.

Avril Lavigne, o CD, é um dos melhores de 2013. Pra mim, pelo menos. Pela simplicidade, pelo toque, pela voz, pela tentativa de sucesso, pelas letras, pelos riscos, pelas diferenças. Talvez eu nunca a conheça. Talvez nunca fale com ela. Eu sei que, pra sempre, vou sonhar em ir em uma balada e vê-la, sem querer, entrar. E daí eu vou correr pedir para o DJ tocar Girlfriend e eu vou dançar com ela.

Sim. Infantilóide como deve ser.

2 comentários:

Lucas Almeida disse...

Me vi muito na parte do "É Avril, não Eivril". Tenho o mesmo sentimento pela Ke$ha e assim que dizem "Keisha/Kêsha", vou lá e corrijo! haha

Fã/alucinado/apaixonado sofre. Parabéns pelo texto.

Obs: O Avril Lavigne está incrível. Eu que não curto tanto o som dela, estou ouvindo diariamente.

Jean disse...

Caio,

Ouvi o CD hoje e depois pensei em ti... o Caio deve estar insano com isso... eis aqui um primeiro comentário. Eu resisti e não queria ouvir as músicas... tolice sei... queria esperar o lançamento do álbum para ouvir. Óbvio que não resisti (assim como aconteceu com Goodbye Lullaby, XD). Então fui e um amigo me recomendou Hush Hush primeiro... e depois de passar o ouvido em todas, atesto... é essa minha favorita do álbum. Concordo contigo nas afirmações e devaneios, pois realmente dá uma vontade de conhecer a moça, abraçar e dançar junto... infantilóide também. Vou dizer algo que você sabe o que significa... eu também ouço todos os dias, há conexões com o que passei, ou sinto e corrijo o Eivril também XD. Existe uma conexão bonita e sincera quando a ouço... e sempre dá aquele receio do próximo álbum ou da pergunta, até quando? Mas who knows? Não me considero um grande conhecedor de canções, mas posso afirmar sem receios que no meio de tanta música sem conteúdo, ou sentimento, que visam só lucros e fama que ouço por aí, a Avril continua a mesma em oferecer canções que venham dela, que signifiquem algo e digam algo. Vai direto nos nossos sentimentos... aguardemos o que vem agora...

Abraços