21 de jul de 2013

do acidente chamado paixão

tarde demais. o coração já bate acelerado quando o tempo se aproxima e, quando distante, faz-se dolorido. o rosto já desenha um sorriso quando resgata a lembrança e o restante já deixou para lá o racional. o toque leve arrepia. o jeito se mistura. os olhares condenam. em tempos modernos, o toque da mensagem denuncia o desespero: será ele? 

não sabe-se explicar a paixão, mas, quem a sofre, deixa a individualidade de lado e cria no outro um mito, um desejo, um altar. bocas secas que se umedecem, corpos quentes que se acalmam, mãos que suam e se juntam, adrenalina. juntos, é como o mundo manda ficar.


criando histórias, mesmo com prazo para acabar.

Meet me in Montauk.

Nenhum comentário: