18 de mar de 2013

sobre o mundo, sobre todos e sobre poucos


a adolescência tardia tem sequelas terríveis. eu, da tal geração XYZ - conectada, perdida e desinteressada - acabei percebendo, duramente, alguns reflexos das nossas ações não pensadas. entre um gap e outro, culminam pessoas que poderiam mudar o mundo. minha geração, tão pouco sábia, viveu um momento de revolução no mundo, mas sem a revolução real. um momento de tecnologia, de acesso fácil à informação. sem querer, isso deu direito a todos de comentar, espalhar, criticar e ser donos da verdade. cada um da sua, sem hesitar. há exceções, claro, como em toda regra. 

as tais redes sociais – que, convenhamos, são nada sociais – permitiram isso. por sorte, algumas pessoas ganharam voz, outras perderam sua total personalidade e essência e preferiam vangloriar outréns, que, com o ego inflado, de novo, acharam sua verdade e imposição. tudo errado. o papa é homofóbico. o papa é argentino. preceitos, preconceitos sobre preconceitos.

reparem, por favor, que falo que é minha geração. eu, com já meus 25, sei pouco sobre o mundo, descobri a vida com atraso e, socialmente falando, sou um perdedor. vivi, por anos e anos, o que a internet pôde mascarar: gracinhas, humor acéfalo, egoshots por todo o canto, ultra-exposição do corpo, da cabeça, do outro, da vida. dupla personalidade, é como hoje consigo definir. sou altamente ativo nas redes sociais, mas um jacú no sociável. quão paradoxo é isso? 

é quando você percebe que deu voz, motivos e vazões para os outros comentarem sobre você, que começa a entender um pouco sobre o mundo, sobre todos e sobre poucos. o mundo é mau e sempre vai ser. todos são máscaras, perfis criados para sustentar insatisfações, inseguranças e medos reais. poucos são de verdade, poucos abraçam, poucos oferecem o ombro para você chorar. 

hoje, ao entender que poucos me conhecem – como, de fato, sou – percebi que preciso mudar. mudar as ações, apesar de fazer parte (e ter orgulho de) desta geração XYZ. há tanto para aprender com os outros – há um alfabeto todo. há tanto para ensinar. mas tanto, tanto, TANTO, pra viver.

escolhas. ações. os resultados a gente colhe. 

Nenhum comentário: