11 de out de 2012

ever so sweet

sentado à beira da estrada, músicas antigas nos ouvidos. o coração anda um tanto machucado, a cabeça força sentimentos. ausente, mas insistindo na presença desconhecida. não sou, não serei especial. histórias rabiscadas em um corpo que já não contam nada. sente a lágrima. sente a dor.

mãos unidas que cruzam barreiras. olhares tímidos que acalmam o mundo. abraços que transpiram calor. são anos e anos de uma vida louca, pouca, de nada. olho ao redor. não tem ninguém, não existe nada. digo: "sou teu". viro a página. parágrafo louco.

de passos poucos, de risos longos, beijos loucos. sinto a nova sintonia, uma nova energia que consome os pensamentos. esqueço o passado, ignoro o futuro, me jogo no presente. é assim que tem que deve ser. esperança, ainda dá pra ser feliz.

seus olhos, azuis e lindos, completam a última imagem em minha mente antes de dormir.
sua voz, seu jeito, seu carinho motivam a sair da cama no dia seguinte.
te ver faz valer as horas que se estendem, que não passam, que esperneiam.

deixo a estrada, sigo o caminho. é hora, mais do que hora, de te ter.

não sei quem é você, mas eu, eu…

Um comentário:

Rick disse...

É moço, tu tem uma coisa boa contigo. E, do nada, virei fã de mais um maluco, em milhões.

Queria andar com teu blog no bolso. kkk. É que, qualquer duvida das pessoas sobre mim, consultaria ele pra ver se tu tem alguma coisa a dizer. Entendeu não né? hehe

Fascinei.