4 de abr de 2012

complicated

uma música pode mudar uma vida. a minha foi aos 14, quando Avril Lavigne lançou complicated. me lembro do instante: disk mtv, 5h da tarde, eu brigadando com minha irmã. "hey guys, do you wanna crash the mall?". Pan, pan, pan, pan pan... Paramos. Assistimos. O que diabos aquela menina estava fazendo com luvas e cantando uma música melosa? Não sei. Sk8er Boi. I'm With You. Losing Grip. Começou uma história de amor platônico que, no futuro, ia gerar os melhores momentos da minha vida. Nobody's Home quando fiquei sozinho. When You're Gone quando me apaixonei. Hot quando minha sexualidade explodiu. What The Hell quando o meu mundo mudou. Smile quando eu só precisava sorrir. Goodbye quando percebi que o adeus era obrigatório.

Minha vida andou junto com os momentos e músicas da Avril. É estranho, é infantilóide fazer esta ligação, mas ela pesa em minha cabeça em todos os momentos.

Life's like this: você cai, você rasteja, você perde, você pega o que pode e transforma em honestidade.

Cantar tudo isso de coração cheio. Com amor. Com sinceridade. Cantar como se não houvesse amanhã. Dançar Complicated olhando nos olhos daquela que a escreveu. Focar.

I like you the way you are. When we're driving in your car. Mesmo sem cinto de segurança, talvez por birra, ainda me pergunto: por que você teve que ir e fazer as coisas tão complicada? 

Veja só. Veja só. Ainda lembro da imagem da piscina de bolinhas e a legenda de "When You're Gone". Ainda lembro da imagem preta e a legenda de Tomorrow. 

It may change. Maybe a better day. Lalalalala...

3 comentários:

Anônimo disse...

Mágico! vesti suas palavras <3

Jean disse...

Caio,

Vez ou outra eu venho aqui. Acho incrível estes posts de caráter tão íntimo... principalmente porque compartilho de alguns deles. Eu não cheguei plenamente no início, porém quando descobri a Avril, confesso que as músicas delas estão ligadas a alguns momentos meus.
Ela tem essa característica de se conectar com quem ouve as músicas. Só para citar algumas, quando meu mundinho cai eu ouço My Happy Ending, quando a rejeição bate eu me lembro de Forgotten, se o assunto é saudade Wish You Were Here me vem à mente, se é dor ou tristeza Goodbye toca na hora, também tem muita esperança em Who knows, assim como acredito que posso fazer meu melhor em I can do Better... enfim... as músicas dela têm significados para mim. E tomara muito que ela não se aposente tão cedo... hahaa.

Abraços

Vitor Marques disse...

Awwwwww, que lindjo Caio hahahaha. Atualmente eu tenho 18, quando a Avril surgiu, eu tinha 7. Foi o meu primeiro CD, meu primeiro amor, minha ~rebeldia~, minha alegria... Tudo que eu passei a minha vida toda, foi ao lado da Avril. Hoje eu também sou fã da Miley Cyrus, mas nunca deixarei meu primeiro amor que é a Avril, hahaha. É meio infantil a gente falar isso, mas que se dane, as pessoas que nos trazem os melhores sentimentos são as mais importantes. :)