22 de ago de 2011

faz bastante tempo

É bom saber que a gente tem um pé para roçar no frio. Aquela roçadinha rápida, gostosa, que, virado com a cabeça afogada no travesseiro, faz você soltar um risinho e pensar: tá tudo bem agora. Faz bastante tempo que meu pé não roça em outro pé.

E quando você está andando na rua, alguém passa e seu nariz sente aquele cheiro. Ops! É o cheiro de alguém. É o cheiro de alguém bem perto de mim. É o perfume xis. Meu Deus! É o cheiro de quem eu eu amo. Faz bastante tempo que eu não reconheço cheiros.

É gostoso ir ao parque, andar de skate, ouvir uma música que você ama, sentir a brisa bater no rosto, sentir o cheiro de mato e, na hora que cansar, deitar no colo de alguém que ficou admirando cada semi-tombo que a gente quase tomou. Daí é rir e sentir a mão dessa pessoa entrar no meio dos cabelos e fazer os pulmões se lotarem de ar. Faz bastante tempo que meus pulmões não respiram muito ar.

Beber é legal. Ouvir música na balada é ótimo. Mas não tem nada mais gostoso no mundo do que, quando bêbado, levantar a mão quando Avril Lavigne começa a tocar e sentir alguém se encaixar. E cantar junto. E pular. Uau! Faz bastante tempo que você já não pula comigo.

É incrível deitar a cabeça no travesseiro e, antes de dormir, pensar na pessoa que você ama, nos problemas do trabalho e em como a gente está fodido profissionalmente. Faz bastante tempo que eu não penso na pessoa que eu amo.

Eu era pequeno. Era sincero. Era fiel. Era sonhador. Era inspirador. Era feliz. Faz bastante tempo que eu não sou nada.

4 comentários:

Lucas Queiroz disse...

E faz bastante tempo que eu não leio nada assim que me fizesse parar por alguns segundos e dizer: Não sou o único.

João Felipe disse...

Muito tocante. E verdadeiro.

Gardenas disse...

E então não sou o unico ... adorei o texto muito bom!

Nickolasqmb disse...

Uau.