22 de set de 2010

queria tanto ter você pra mim

Calças a gente compra. Custam de 100 à milhões, mas compramos. Compramos e vestimos. Vestimos e usamos. Usamos e doamos.
Felicidade a gente molda. Fingimos ser o que não existe. Nos colocamos em uma vida paralela, onde rimos. Moldamos um falso sorriso.
Amor a gente inventa. Nos apaixonamos todos os dias por um estranho que nos dá um carinho. Amamos os cachorros, a vida, o mundo. O dinheiro e o trabalho. Só amamos.
Televisão a gente cria. Criamos uma realidade, vivemos um personagem distante. Criamos e vivemos. Vivemos e choramos.
Sexo a gente compra. Compra e goza. Relaxa. Saímos buscando a carne e, quando conquistada, nos gabamos. Sexo a gente usa, grita, pula e chora.
Você ninguém compra. Perto, mas longe. Na mesma sintonia, mas num mundo distante. Você eu não conquisto, porque eu sou fraco e você é apaixonante. Você tem marcas, eu tenho sonhos. Você tem ao mundo, eu tenho a mim. Você ninguém compra, ninguém traça, ninguém rouba. Você vive com sua calça, sorrindo que nem um louco, amando a mim e a todos, vivendo em um mundo louco.

Queria tanto ter você pra mim.

7 comentários:

lipeconrado disse...

ai cara, você é muito estilo!
adoro você, te admiro
adorei o texto (:

Pri Lopes disse...

Adorei o texto.
Parabéns...

Nadjara disse...

Chorei agora

Fernanda Zanol. disse...

mais um texto perfeito... amo vir aqui, me faz bem. Mas acho que eu já disse isso né? rs

beeeijo :*

Anônimo disse...

também queria tanto alguem...
e isso doi demais!

Gabriela Andrade disse...

Adoro os teus textos e a forma como sempre deixa uma "pontinha solta" e sempre a retoma, numa continuação incrível. (:

Daniel disse...

se quer mesmo é só chamar que eu vou.