6 de ago de 2010

estetoscópio

Tum, tum.

Você ouve bater. Você sabe que bate. Você sabe que corre. Você sabe que dói. Você não precisa de nada para entender. Você só precisa ouvir, pra conhecer. Ouvir com atenção, ouvir o ritmo desse meu coração.

Tum, tum.

Você ama quem aqui te escreve, mas não ama o coração. Ama os algoritmos desse texto, mas não ama o sentimento verdadeiro. Ama o corpo, mas não ama o rosto. Briga, luta, não respira, batalha, critica. Você não ama por inteiro.

Tum, tum.

O ser humanno é indecifrável e complicado. Ninguém pode desvendar e conhecer por inteiro. Ninguém pode pedir uma mudança com exagero. Ninguém pode acreditar. O ser humano é complexo para, assim, o outro gostar.

Tum, tum.

Não ouve ainda, então grita até matar. Grita pelos ares, grita pra arrasar. Ouve mais de perto, pegue o estetoscópio para descobrir que o coração é forte e tem ritmo, tem dor e não tem juízo, mas uma flor não é mais delicada que esse órgão sem sentido.

Tum, tum.
Tum.

Ele acelera quando chega. Ele acelera quando vai. Ou seja: ele acelera por você.

3 comentários:

Alice e suas cartas. disse...

muito bom. otimo seguir vc, sempre links interessantes.

Anônimo disse...

adorei. se palavras pra explicar porque. simplesmente diz tudo com quase nada. tum tum

Thiago M. disse...

"[...] pegue o estetoscópio para descobrir que o coração é forte e tem ritmo, tem dor e não tem juízo, mas uma flor não é mais delicada que esse órgão sem sentido."

Morri. Ponto. Textos sempre cheios de sentimento. Parabéns, Caio.