3 de mai de 2010

destruição

Um filme de guerra que explode os amantes em instantes, durante momentos, por sentimentos. Um filme de guerra que não tem dó do doente. Um filme de guerra que não tem culpa, só dirigentes. Um filme de guerra que não chora por compaixão. Um filme de guerra que, veja lá, nem sabe o que é a paixão. Um filme de guerra que não liga para o outro. Um filme de guerra que só pensa no próprio bolso. Um filme de guerra que é confuso. Um filme de guerra onde não tem guerra. Um filme de guerra que não tem batalha. Um filme de guerra que não tem jogo. Um filme de guerra que só um luta. Um filme de guerra que o outro é pouco. Um filme de guerra que explode a largada. Um filme de guerra que nunca vai ter chegada.

Um filme de amor.

Um comentário:

Anônimo disse...

Confesso que tal filme se passa todo dia e mesmo assim a gente espera uma cena nova.
Desde o dia 05/05/2010 quando li o post fiquei procurando sentido nisso.
Nisso me fiz entender que o filme é como vc disse né "...nunca vai ter chegada..."