3 de set de 2009

A vida é o melhor livro

Não adianta tentar querer explicar a vida das pessoas. Nem seus costumes e razões. Aqui, nesta terra de gente diferente, ninguém é, obviamente, igual a ninguém. Alguns comem demais, outro de menos. Alguns são bonitos, outros são feios. Alguns fumam, outros bebem. Alguns são gays, outros são héteros. Alguns comem unha, outros são loucos. Alguns possuem problemas secretos, outros são expostos. De nada adianta tentar entender a vida alheia se, por um momento sequer, você não entende a sua própria.

Eis que eu, um paulista de 21 anos que nunca encarei a vida, comecei a crescer. É dolorido crescer. Crescer significa deixar de lado todos os seus costumes infantis e aprender a ver as coisas e ações de forma madura, com um outro olhar. É treinar a cabeça para um mundo que nunca fora te apresentado. E tudo isso você faz sozinho. Você nunca pode contar com ninguém.
E nessa fase de descobrir como se faz a vida, você erra. Você erra o tempo todo, em todo o lugar. Você erra nas escolhas, você vai pela rua errada, você pega o caminho mais longo, você falha no amor, você esquece do carinho, você chora demais, você ri demais, você perde alguns cabelos, você fica mais gordo, você fica mais triste, você fica mais louco.

O problema de crescer e descobrir a vida é: você nunca pode esconder nada. Não há nada do que você faça que alguém não fique sabendo. É sempre assim, para sempre. E tudo o que você faz espelha em quem você é, em quem você vai ser e em como os outros irão te ver. Cada decisão, por mais certa que pareça, pode estar errada. Pode ser vista de forma errada. Pode ser a maior cagada da sua vida.

A vida não é feita para ser escondida. Viver é complicado, mas aprendi, mais do que nunca, que só com a honestidade e com todos os problemas resolvidos é que a gente pode seguir em frente. Sendo sinceros, ninguém nunca terá o porque de duvidar da gente. Sendo sinceros, as pessoas ao nosso redor também serão sinceras. Sendo sinceros, conseguimos criar um mundo de verdade para a nossa vida, que deveria ser totalmente verdadeira.

É assim que eu quero seguir daqui para frente. Com quem for, onde quer que eu esteja, eu quero priorizar a honestidade e me controlar para fazer com que as coisas dêem certo. Posso ter me perdido um tempo, posso ter ficado louco. Mas sou humano. Um dia eu me encontro.

4 comentários:

Hébron disse...

Desconfio que seu blog passa a ser um tipo de guia pra mim! tenho sua idade e seus posts me encorajam a olhar pra minha própria via tantas vezes... Obrigado Um grande abraço

Talita Alencar disse...

O que é mais divertido e causa menos danos à saúde física e mental ?

a) morrer ;
b) estar na platéia do Cirque du Soleil e ser chamado ao palco ;
c) ver a cinquentenária Madonna requebrando ao som de uma música inclassificavelmente chata ;
d) testemunhar um senador de cabelo pintado falando na TV ;
c) passar trinta segundos na frente de um mímico

Tenho certeza absoluta de que a opção A é a correta.

Talita Alencar disse...

O que é mais divertido e causa menos danos à saúde física e mental ?

a) morrer ;
b) estar na platéia do Cirque du Soleil e ser chamado ao palco ;
c) ver a cinquentenária Madonna requebrando ao som de uma música inclassificavelmente chata ;
d) testemunhar um senador de cabelo pintado falando na TV ;
c) passar trinta segundos na frente de um mímico

Tenho certeza absoluta de que a opção A é a correta.

Linie' disse...

Caio,
As vezes você me faz chorar
Mas eu não consigo parar de vir aqui...