22 de abr de 2009

Resumindo Fpólis

Vai, Caio. Vai andar de avião pela segunda vez na vida em menos de dois meses. O resultado, é claro, é menos dor de cabeça e mais viagem legal. Começou de repente, deu tudo certo. Nos encontramos na sexta, depois de um pouco de turbulência. Os ares estavam bravos até subir o vôo. Até um matusquela com idade de 15 me deixou irritado. Mas voou. Atrasou um pouco, chegou com sol e o carro brecava demais. Falta do ABS, da modernidade.

Passeio regado a isca de peixe, a peixe estranho, a copinhos de barro e a praia. Durou tempo o bastante para me fazer esquecer que eu tinha uma vida aqui, o tempo ideal para fazer eu acreditar que meu lugar era acolá. Me iludi. Tínhamos que voltar. Sim, voltar era inevitável, mas antes devíamos tomar café com Nutella, comer torta delícia, andar pela lagoa, andar pela praia, receber assovio na rua, estrear as várias sungas, tomar sol na praia e brincar no mar. Antes, é claro, risadas à beça por causa da dona aranha, que subiu pelo colchão.

Depois de cozinhar bastante e comer comida boa, feita por mãos santas, tirar muitas fotos sensacionais por Sebastião Salgado ainda não famoso, mas de olhos tão azuis quanto, andar de barquinho pelo mar e passear na ilha que tinha areias importadas do Caribe e várias pessoas do mesmo nome, comer mais isca de peixe e acreditar que as batatas-fritas perderam o seu lugar em meu coração, andar pelo tal Camelódromo e comprar um óculos de sol laranja, ainda tive que me deparar com a morte na estrada. Sim, no Sul do país nunca amanhece, a chuva é mais forte, a estrada tem muitas curvas e o carro que freia muito forte ainda tinha os vidros manchados. Um teste de morte. Achei que ia morrer. Mas, por nenhum momento, me esqueci que, ao lado, havia alguém que não deixaria isso acontecer. Parabéns, plac, plac, plac.

Por fim, resultamos em um bem de 16x4 que ganhou um apelido carinhoso, vindo de alguém que mora em nossa imaginação e vive na tela do computador. Dá-lhe, B.

Em Floripa, onde se dá carona, não levamos ninguém. Em Floripa, existe um método muito chato de ficar beira-mar com um Corolla flertando com jovenzinhos. Em Floripa, agora, reside a melhor viagem do mundo.

Um comentário:

Renato Medeiros disse...

aHHHHHHHHhhhhh!
QUE BOM que gostaram de Floripa
e tiveram mega sorte com o final de semana hein?
sábado e domingo deu SOL, calor

ontem e hj tah frio, nublado e chuvoso
olha soh do que vcs escaparammm! H uaHAuHA UHA U HAUH AUH aA
;-)

"bom retorno de volta" :-)