2 de abr de 2009

Loser

Oi, tudo bem?

Eu gosto de vir aqui. Virou o meu espaço de desabafo, de pedido, um lugar que eu imploro para alguém especial ler o meu corpo e mente e entender o complexo que me forma. Apesar de parecer por muitas vezes melancólico, o fundo das minhas palavras clamam por amor. Mas, por um motivo egocêntrico e (vamos lá, vou aplicá-la) líquido, alguém se recusou a entender.

Qualquer vômito de palavras, por mais metido à filósofo que eu seja, são declarações de amor. Declarei-me por aqui o tempo todo, disse a verdade escarrada para quem quisesse ver. Se você se fingiu de cego, a culpa foi não querer ver. Não ter a vontade de ver.

O mundo fica mais feio de acordo com os olhos de cada um. Você pode se sentir rejeitado, velho, insignificante. Tem alguém que ficou o tempo todo implorando pelo seu carinho, abanando a mão e dizendo "oi, eu tô aqui". E eu fiquei ali, sozinho, sem ter você pra vir me ter.

Para quem gosta de olhar com bons olhos a ação alheia, uma declaração de amor, hoje, sincera como foram as minhas, valeriam mais do que qualquer motivo que você quisesse criar para brigarmos. Desculpe, a vitória nem sempre vem e, um dia, alguém ia ter que perder.

Eu perdi o amor da minha vida. Não fui eu quem escolhi ser assim. Eu enxerguei, durante o tempo todo, o melhor de nós dois. Você sempre interpretou errado. Eu sei, talvez eu é que não seja um bom ator.

Se eu perdi isso e metade do meu coração, você perdeu o que?

3 comentários:

Renato Medeiros disse...

Gente.. eu não canso de ficar assssssim OH: :0() de boca aberta, quando leio teus textos aqui.
É sempre impressionante, marcante, "foda"; a maneira como tu escreve as coisas, o jeito que tu "sintetiza" os teus pensamentos em palavras.

DE CARA
De cara ainda mais se esse teu amor é tão cego, claro; se ele é real e não apenas fictício...

TIAL

Renato Medeiros disse...

eh
foi o q eu imaginei
meio que digamos, queria n acreditar q fosse/ afinal, n ser assim tão fod####
;(

Maíra Tanaka disse...

Perde quem não ama... quem ama, por mais perdas que tenha, sempre ganha (cedo ou tarde).