8 de dez de 2008

Da histórinha

A minha vida já foi dele, dela e minha. Agora é de ninguém e anda pela rua. Atropelada pelo acaso, virou história do meu passado. A minha vida não é mais possessiva, sim ilusiva. Andou por aí de olhos vendados para a televisão da vida e foi enganada por quem jurava a fidelidade. A minha vida nunca foi sua, nossa ou deles. A vida, que é de alguém, sempre foi indefinida e abstrata, anda como se fosse uma pessoa, mas vive como se fosse apagada. A minha história não quer mais ser contada, porque foi borrada pelas mãos trapaceiras do outro amargo, que congelou o meu sorriso e o meu jesto de carinho e não deixou minha sessão de verdade e carinho correr pelo corpo de alguém. A minha vida sumiu e, junto com ela, foram as minhas lembranças.

Um comentário:

Bii disse...

você, aparentemente, teve um ótimo ano, espero que 2009 seja melhor ainda, saudades.*