24 de mar de 2008

O texto do tals

De doce e frígido, não tinha nada. Chegou como um ninguém, olhou como estranho, papeou como querido e ficou como importante. De passos largos, roubou a vida desacreditada para si, pegou o que não lhe era permitido e doou toques de veludo por todo o corpo virgem do ser. Líquido como tal, o amor banal foi comprado. Fácil como veio, difícil como foi. Doído, de pérolas raras e flashes impetuosos, o momento da vida gasta durou o que foi necessário. Jogado ao léu pelo vento do sul, as árvores de Natal anunciavam o que todo o corpo previu antecipadamente, mas, por metáforas e sonhos, o sentimento escondeu. Olá e adeus. É assim que surge e acaba uma relação. Ponto final.

2 comentários:

Jujuqui disse...

difícil, dolorido e direto, assim como estas palavras...

jay jay disse...

má menini vc acha muita coisa rsrs

vou te add aqui chuchu!

ótimo texto pra meu estado! amei....

e não eu não estava apaixonada....rsrs