10 de dez de 2007

sem caso

todo esse meu tempo, usei para te esquecer. os seus detalhes amados, querida, ficaram gravados em olhos não mais vidrados. pelo amor. pela dor. pela loucura. pela tragédia. um dia acordei e foi-se, em meio à uma multidão que sentia o mesmo. deixaram todos ir embora, em meio à um rio a esmo. paixão perdida de toda uma vida, ah, se soubesse antigamente a beleza de outras relíquias. meio problema resolvido, agora falta a minha nova vida. digo que já não sei mais viver sozinho, mas também não aprendo outro meio. hoje, mon ami, teu impacto no meu caso já não será mais tratado. a cura foi encontrada e não foi preciso muito gasto. hoje, mon amour, só não mais quero o seu abraço, como oro pelo seu descaso. aquele que você me dava de acaso, que eu via um grande caso, foi para outro palhaço.

Um comentário:

Marcela disse...

Parece música dos Los Hermanos..