18 de jul de 2007

uta;

É madrugada. Não faz diferença, mesmo. De longe, te sinto mais perto do que o necessário. E de tão perto, te sinto tão longe quanto o obrigatório. Ainda quero ouvir aquilo, seja lá o que for. Mas querer saber da sua boca é acreditar que eu posso pegar uma estrela e guardar no bolso, só para te dar depois e te ver brilhar. Ou sorrir, sei lá. Nunca fui disso, mas faço o que precisar para te conquistar.

Agora corre para cá e me dá aquele abraço, que me faz soltar três letrinhas e, ao mesmo tempo, sentir como se todas as estrelas do céu fossem minhas. E suas. E então, nossas. Só venha, antes que eu perca a cabeça...

4 comentários:

Priscilla disse...

Sabe, tudo isso que você escreveu é... perfeito. :*

Priscilla disse...

De nada (:

Dani disse...

Endosso o comentário...





nossa!

Lucasof disse...

Uta.